Untitled Document
Adicionar aos favoritos Links Úteis ! Bíblia Online Catecismo Online  

Untitled Document

LOJA VIRTUAL

 

No Pentecostes, a Igreja ficou cheia do Espírito Santo

Texto: At 2.1-4
Leitura: Lc 24.44-49; At 1.14; 2.1-41

No dia 8 de junho 2014, comemoraremos o dia de Pentecostes, um dia muito marcante, pois há mais de dois mil anos, nessa mesma data, a igreja de Jesus Cristo foi cheia com o Espírito Santo.


É nosso papel, como cristãos, aprender, na escritura, o que aconteceu há mais de dois mil anos neste dia, em Jerusalém, para podermos ser lembrados de quem é Jesus Cristo, de nossa realidade em Jesus Cristo, nosso papel como igreja e nosso consolo prometido na aliança.


Sendo assim, eu proclamo, neste domingo, dia 8 de junho de 2014, quando a igreja de Cristo lembra o Pentecostes, a mensagem de Deus no seguinte tema:
No Pentecostes, a igreja ficou cheia do Espírito Santo:
Leremos três pontos nesse tema:


Jesus Cristo prometeu encher a igreja com o Espírito Santo
Jesus Cristo cumpriu Sua promessa
Jesus Cristo nisto é glorificado

 

1. No Pentecostes, a igreja ficou cheia do Espírito Santo: Jesus Cristo prometeu esse encher
O texto diz: “Ao cumprir-se o dia de Pentecostes”. O dia de Pentecostes era 50º dia após a páscoa. Era um dia de comemoração estabelecido por Deus para ser lembrado pela igreja no Antigo Testamento (Lv 23.15-21; Dt 16.9-11).


Também, com o decorrer do tempo, a festa do Pentecostes foi sendo considerada como a festa da renovação da aliança (2 Cr 15.10-12 – essa renovação aconteceu no terceiro mês dos judeus– Sivan – que é quando ocorre a festa) e um pensamento rabínico ligava a entrega da lei no Sinai ao dia de Pentecostes (que também aconteceu no terceiro mês).
Judeus e convertidos ao judaísmo, de todos os lugares, iam a Jerusalém para ofertar as primícias ao senhor Deus e adorá-lo no Templo. Um tempo de festa, de movimentação e alegria em Jerusalém, quando o sumo-sacerdote tomava o primeiro molho retirado da colheita e oferecia ao senhor Deus e ela se seguia com a bênção do Senhor.


E foi neste tempo que algo maravilhoso aconteceu em Jerusalém. Os primeiros cristãos estavam reunidos numa casa, em Jerusalém, obedecendo e esperando o cumprimento das palavras de Jesus Cristo.


Ele havia prometido diversas vezes a vinda do Espírito Santo. Antes da ascensão, Jesus havia dado uma ordem e uma promessa ao Seus apóstolos e discípulos.


A ordem era que eles permanecessem em Jerusalém (Lc 24.49; At 1.4) e a promessa que era que, não muito depois daqueles dias, seus apóstolos e discípulos seriam revestidos de poder, ou seja, seriam batizados com o Espírito Santo (At 1.5).


Note que Jesus Cristo sabia o momento em que iria encher Sua igreja com o Espírito Santo, mas, de propósito, Ele não tinha dito a data específica (At 1.5). Então, o que aconteceu no dia de Pentecostes foi o que Jesus Cristo prometeu. Isto mostra que a vinda do Espírito Santo estava dentro da agenda divina de Jesus. Isto mostra Seu controle de sobre o plano da salvação.


O senhor Jesus Cristo é o soberano da salvação. Ele diz que, segundo Sua vontade, executa suas promessas, independente, da ansiedade da Igreja e diz quando as executará.
E veja que a promessa de Jesus gerou certa curiosidade e ansiedade nos Seus discípulos (At 1.6,7). Muitas vezes, ficamos curiosos e ansiosos a respeito de quando Jesus Cristo irá cumprir plenamente Sua promessa: quando Jesus virá nos buscar? Quando Ele porá fim nesta luta tremenda em minha vida contra o diabo, o mundo e a carne? Até quando tenho que esperar a restauração?


Mas, meu amado irmão, Jesus Cristo é soberano e estabeleceu uma agenda! Não devemos achar que o nosso Senhor é tardio em Suas promessas. Jesus Cristo é fiel e cumprirá plenamente Suas promessas a Sua amada igreja. E, por isso, devemos orar e esperar com paciência e fé o cumprimento da palavra de Jesus em nossas vidas. Foi isto que os apóstolos e discípulos fizeram. Veja o versículo 1: “estavam todos reunidos no mesmo lugar”.


Já haviam se passado 10 dias desde que Jesus Cristo tinha subido ao céu. E a atitude dos discípulos mostrava obediência e fé na palavra de Jesus Cristo. Eles estavam em oração, sentados e esperando o cumprimento de Sua palavra (eram 120 pessoas no total – At 1.15).


Agora, note que essa obediência e fé eram manifestadas na comunhão dos santos. Os cristãos “estavam reunidos no mesmo lugar”. Isto não é apenas para dizer que eles estavam num mesmo local, mas é também para mostrar comunhão na fé de que Jesus Cristo cumprirá a Sua promessa! A igreja é uma comunidade reunida por Jesus Cristo e unida pela fé na Sua palavra!


Assim, os primeiros cristãos nos mostram que a igreja deve permanecer unida na mesma fé enquanto Jesus não cumpre plenamente sua promessa.


Meus irmãos, Jesus Cristo prometeu encher Sua igreja com o Espírito Santo e, no tempo certo, ao cumprir-se o dia de Pentecostes, Ele cumpriu Sua promessa. Vamos para o segundo ponto da pregação.

 

2. No Pentecostes, a igreja ficou cheia do Espírito Santo: Jesus Cristo cumpriu sua promessa.


A igreja de Jesus Cristo estava reunida e unida na fé. Foi quando Jesus Cristo subitamente cumpriu a Sua promessa. E o cumprimento da promessa mostrou a Sua soberania:


Veja o versículo 2, que diz: “De repente …”, ou seja, de modo inesperado, um som, de um vento forte, encheu toda a casa onde eles estavam assentados. Assim, a igreja foi pega de surpresa!


Esse “de repente” mostra a soberania de Jesus Cristo. Não foram os apóstolos e discípulos que disseram ou produziram a chegada do Espírito Santo: “chegou a hora de sermos cheios do Espírito Santo”.


A igreja deve ser humilde e reconhecer que não é ela quem comanda a operação do Espírito Santo. O Senhor Jesus é quem age sobre a igreja. Não é a igreja que determina a hora de ser cheia do Espírito Santo, mas, Jesus Cristo, o soberano, que surpreende a igreja, cumprindo a Sua promessa “de repente”!


A soberania de Jesus Cristo é mostrada na repentinidade e pelos sinais maravilhosos vindos do céu. O texto diz que “veio do céu” um som como de um vento impetuoso e “línguas, como de fogo,” que “pousaram uma sobre cada um deles”. O céu é de onde vêm os sinais e isto mostra que a operação do Espírito não é do homem, mas da soberania de Jesus Cristo.
Veja como é diferente do que hoje se fala da operação do Espírito. Hoje muitas pessoas falam de sinais do Espírito e insistem no ministério de sinais e maravilhas. Porém, quando você ouve as mensagem dessas pessoas, há uma tentativa de manipular o Espírito Santo. Um homem é exaltado como grande e os sinais levam os homens a olharem para terra somente!


Mas a escritura diz que os sinais vieram “do céu”. Note que a chegada do Espírito Santo é marcada com sinais que levam Sua Igreja a dirigir seus olhos para o céu, ou seja, para o lugar onde Jesus Cristo foi recebido e está junto com Seu pai.


Outra coisa, no texto, a que se deve prestar atenção: não foi um vento, mas o som de um vento muito forte que encheu toda a casa.


O primeiro sinal da chegada do Espírito Santo é percebido pelo ouvido. É pelo ouvido que a atenção dos discípulos é chamada para eles perceberem a chegada do Espírito Santo.
As palavras “espírito”, “sopro” e “vento”, muitas vezes, na escritura, escrevem-se da mesma maneira. A igreja ouve um som de um vento muito forte. E Deus, na escritura, muitas vezes usa o símbolo do vento para mostrar o seu poder e a sua obra. Assim, o som de um vento forte mostra à igreja que é Deus quem está operando naquele momento.


Agora, é interessante que, além do som como de um vento, a igreja também viu algo. E o que foi visto pela igreja? Veja o v. 3: “e apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e pousaram uma sobre cada um deles”.


Os apóstolos e discípulos estavam vendo “línguas, como de fogo”. Não eram sons, mas agora era a visão do órgão da fala: línguas! O fogo é um sinal que aponta para Deus, pois a escritura muitas vezes usa o símbolo do fogo para mostrar o poder santificador, de juízo e de graça de Deus.


E note que estas línguas foram distribuídas entre os apóstolos e discípulos, pois “pousaram uma sobre cada um deles”. A escritura diz que o sinal das línguas pousou sobre cada um dos membros da igreja. Isto era um sinal de que o Espírito Santo fora doado a todos os crentes num só momento. A igreja, como um todo, recebe o Espírito Santo.


Porém isto não descarta a operação do Espírito Santo na vida de cada membro da igreja, pois vemos que, sobre cada um dos membros, pousa uma língua. Isto mostra que Jesus Cristo distribuiu seu Espírito a cada membro da igreja e não somente a alguns membros, especiais.


Sabemos que há um ensino de que o batismo com o Espírito Santo é um dom que somente alguns têm. Mas, isto não é conforme a escritura.


Meus irmãos, assim Jesus Cristo cumpriu a Sua promessa no dia de Pentecostes, mostrando sua fidelidade e soberania.


Agora uma pergunta: por que o Espírito Santo usa os sinais de um som e da visão do órgão da fala? Isto deve nos chamar a atenção para quê? O que vem através do som e de uma língua? Será que não é a pregação do evangelho de Jesus Cristo?


Meus irmãos em Cristo, é pelo som da pregação do evangelho que Deus, o Espírito Santo, chama a sua atenção para o céu e para o Filho de Deus. É por meio da língua flamejante dos pregadores que Deus, o Espírito Santo, fala da glória de Jesus Cristo aos homens e, por meio da fé, salva pecadores! … E isto nos leva para o terceiro ponto:

 

3. No Pentecostes, a igreja ficou cheia do Espírito Santo: Jesus Cristo nisto é glorificado

 

O contexto mostra que os sinais maravilhosos vindos do céu para marcar a chegada do Espírito Santo apontam para pregação da glória do rei Jesus Cristo. Veja o v. 4: “todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito Santo lhes concedia que falassem”.


Jesus Cristo enche a Sua igreja do Espírito Santo e qual a consequência? Ela começa “a falar em outras línguas, segundo o Espírito Santo lhes concedia que falassem”!


Neste reavivamamento da cultura de Pentecostes, tem sido pregado que a marca verdadeira do recebimento do Espírito Santo é o falar na língua dos anjos. Mas, será que o texto nos mostra isto? Não! O texto nem fala de línguas de anjos!


As “outras línguas” faladas pela igreja no dia de Pentecostes eram línguas da terra (veja At 2.5-11). As línguas eram das nações abaixo do céu. A lista dos povos compreendia nações do oriente ao ocidente. Pela escritura, o Espírito Santo concedeu idiomas terrenos para a igreja falar às nações.


E, segundo o texto original, Lucas diz que todos “passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem”. O verbo traduzido como “falassem” descreve que os apóstolos e discípulos falavam em alta voz e exortavam a todos para ouvirem o que se falava!


E o que os cristãos, em advertência, falavam em alta voz? Era uma mensagem que foi entendida pelos povos que estavam em Jerusalém, pois o Espírito Santo concedeu línguas (idiomas) para que a igreja falasse, em alta voz e de modo solene, as grandezas de Deus (At 2.11).


Assim, os sinais e o contexto de Atos mostram que os idiomas foram uma das marcas do recebimento do Espírito Santo no dia de Pentecostes, mas que a principal marca deste dia foi a pregação das grandezas de Deus! Não as línguas em si, mas a PREGAÇÃO tomou o lugar central no dia de Pentecostes!


Veja que os apóstolos e discípulos falavam em alta voz as grandezas de Deus e que o apóstolo Pedro logo se levanta e começa a pregar Jesus Cristo, o rei soberano e salvador do Mundo (2.14-47)!


No dia de Pentecostes, o dia da festa das primícias, Jesus Cristo estava renovando a aliança e derramando Seu Espírito Santo sobre e na igreja e este ato foi marcado pela PREGAÇÃO DA PALAVRA EM DIVERSAS LÍNGUAS TERRENAS!


Meus irmãos, Jesus Cristo estava cumprindo as promessas do Antigo Testamento. E a pregação em Pentecostes proclamava que o Espírito Santo seria dado a toda carne e não somente aos judeus. A pregação proclamou que Jesus Cristo estava derramando o Espírito e isto O mostrava sendo entronizado à direita de Deus, para dominar não somente Israel, mas todas as nações!


No dia de Pentecostes, o apóstolo Pedro prega (At 2.32-36): “A este Jesus Deus ressuscitou, do que todos nós somos testemunhas. Exaltado, pois, à direita de Deus, tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vedes e ouvis”.
Jesus Cristo, em Pentecostes e na pregação pentecostal verdadeira, foi glorificado como o rei soberano que tem o poder de dar o Espírito Santo, ou seja, de batizar com o Espírito Santo a todo aquele que n’Ele crer (seja judeu ou não judeu)!

 

Conclusão:

 

Amados irmãos em Cristo, em Pentecostes, a igreja foi cheia do Espírito Santo para encher o mundo com a mensagem da glória de Jesus Cristo, o rei eterno!


No dia de Pentecostes, a igreja foi cheia do Espírito Santo para TESTEMUNHAR A GLÓRIA DE JESUS CRISTO! E ISTO A IGREJA FAZ PELO PODER DE DEUS, O ESPÍRITO SANTO! E este poder se revela no evangelho, pois o evangelho é poder de Deus para a salvação de todo aquele que crer em Jesus Cristo (Rm 1.16,17).


Jesus Cristo prometeu à Sua igreja (At 1.8): “mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda Judéia e Samaria e até os confins da terra”.


No dia de Pentecostes, a Igreja foi cheia do Espírito Santo para em todas línguas proclamar, de Jerusalém até os confins da terra, que Jesus Cristo é o descendente de Davi, o herdeiro e doador da promessa do Espírito Santo, que domina e dominará sobre todas as nações da terra!


Sendo assim, pela escritura, o que é uma igreja que vive o Pentecostes? Uma verdadeira igreja que vive o PENTECOSTES é uma igreja que, no poder do Espírito Santo, TESTEMUNHA JESUS CRISTO EM DOUTRINA E VIDA! Uma verdadeira igreja pentecostal vive na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações (At 2.42). Uma igreja que vive o Pentecostes é aquela em que seus membros mostram o fruto do Espírito Santo, em que há disposição de serviço a Jesus Cristo!


E qual é a verdadeira mensagem pentecostal? A verdadeira mensagem pentecostal não é a de os cristãos falarem línguas de anjos, mas a mensagem que fala da GLÓRIA DE JESUS CRISTO. A verdadeira mensagem pentecostal é a proclamação do evangelho da promessa de salvação em Jesus Cristo, somente por pura graça e somente pela fé, para os homens, mulheres e crianças! Veja que é essa mensagem pentecostal que é pregada pelo apóstolo Pedro (At 2.38,39).


E o que é um verdadeiro culto pentecostal? É um culto em que o som do EVANGELHO da soberania de Jesus Cristo é proclamado. É um culto em que os pregadores, com línguas flamejantes, chamam os pecadores a se arrependerem e a crerem em Jesus para receber a salvação. É um culto em que os sacramentos são ministrados ao povo de Deus. É um culto em que a promessa do Espírito Santo é selada pelo batismo aos cristãos e aos seus filhos.
Assim, meus amados irmãos em Cristo, neste domingo de Pentecostes e em todos os domingos, pela graça de Deus, estamos sentados, participando de um culto pentecostal verdadeiro, pois o evangelho da glória de Jesus Cristo, e em Cristo, pela pregação e nos sacramentos, está sendo prometido e selado a nós e a nossos filhos em adoção, a remissão dos pecados e o dom do Espírito Santo!


Desta forma, pela graça de Deus em Cristo, estamos cultuando e adorando a Deus, o pai, Deus, o filho e Deus, o Espírito Santo, dentro da realidade pentecostal:


Pela graça de Deus, em Cristo, estamos ouvindo o evangelho da glória de Jesus Cristo em português, numa língua estranha a Israel. Nós, que éramos distantes de Deus e estranhos à aliança e, em Cristo, fomos feitos povo de Deus. Jesus Cristo nos concedeu Seu Espírito Santo e estamos cultuando e testemunhando Jesus no Brasil (nos confins da terra), nós e nossos filhos temos recebido as promessas e o selo do Espírito Santo no batismo!


Amados irmãos, em Pentecostes, a igreja ficou cheia do Espírito Santo. Jesus Cristo prometeu e cumpriu sua promessa, por isso, no dia de Pentecostes, seja lembrado a viver para a glória do Senhor Jesus Cristo, o rei eterno. Viva no poder do Espírito Santo com que Jesus Cristo batizou você! Viva no Espírito, pois o senhor Jesus Cristo, no dia de Pentecostes, encheu a Sua igreja com o Espírito Santo…


Amém!

 

 

 

 
Missão Fidelidade e Vida

Includi - Sistema de Gestão Empresarial Online - ERP Online

"A Cruz sagrada seja minha Luz, Não seja o Dragão meu guia, Retira-te Satanás, Nunca me aconselhes coisas vãs, É mal o que tu me ofereces, Bebe tu mesmo do teu veneno. São Bento Rogai por nós. "

Missão Fidelidade e Vida - Mococa - São Paulo